Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Flavia, 17 anos em coma e as piscinas do Brasil continuam a causar graves acidentes

- 6 de janeiro de 2015
  
Foto 1: Ralo sem a tampa de proteção oferece alto risco de acidentes graves

Foto 2: Tampa anti aprisionamento evita acidentes pela sucção do ralo

Hoje faz 17 anos que minha filha vive em coma porque em 06 de Janeiro de 1998, Flavia, então uma criança de 10 anos, teve seus cabelos sugados por um ralo de piscina sem tampa de proteção, causando-lhe afogamento. Bastaria que o ralo da piscina onde Flavia nadava tivesse nele afixado uma tampa anti aprisionamento, para que o acidente tivesse sido evitado.

Há 17 anos, venho me repetindo através de reportagens em TVs, jornais e revistas, assim como através do blog de Flavia, e mais recentemente me utilizando também das redes sociais, onde tento alertar as pessoas e numa luta quase inglória, conscientizar as autoridades políticas do perigo existente nas piscinas de nosso país, mostrando a necessidade das piscinas terem – obrigatoriamente - instalados dispositivos de segurança, como por exemplo, cercas de proteção e tampas anti aprisionamento, para que os acidentes que temos visto acontecer nas piscinas do Brasil fossem evitados. 

O Projeto de Lei Federal para Segurança nas Piscinas, sobre o qual tanto tenho falado no blog de Flavia, depois de muitos anos de espera, foi aprovado, no ano de 2014, lá em Brasília, por três importantes comissões. A CSSF – Comissão de Seguridade Social e Família, a CDU – Comissão de Desenvolvimento Urbano e por último, pela Câmara dos Deputados. E então o Projeto foi encaminhado ao Senado, onde eu esperava que tivesse tramitação em caráter de urgência, o que infelizmente não ocorreu. Este Projeto, que se transformado em Lei poderia salvar muitas vidas, continua parado no Senado cujo presidente como sabemos, é Renan Calheiros.

Verão é sinônimo de piscinas lotadas. No Brasil, temos ao redor de 2 milhões de piscinas. Destas, pouco mais de 50 mil têm instaladas as tampas anti aprisionamento, um dispositivo simples e de baixo custo que poderia evitar acidentes pela sucção dos ralos. O Projeto de Lei Federal para Segurança nas Piscinas, desde o primeiro semestre de 2014, parado no gabinete do Senador Renan Calheiros, prevê esse e outros dispositivos de segurança que tornariam as piscinas do Brasil, locais de prazer e lazer e não de risco, onde crianças têm suas vidas devastadas em acidentes que poderiam ser evitados.

O Programa Fantástico da TV Globo, exibido em 12 de Janeiro de 2014, numa reportagem feita pela repórter Sonia Bridi, mostrou que naquele mês ocorreram três acidentes em piscinas, em diferentes estados brasileiros: Goiás: Kauã de Jesus, 7 anos, Minas Gerais: Mariana Oliveira, 8 anos, e Vitória (Espírito Santo): Naisla Loyola, 11 anos. Essas três crianças foram vítimas da sucção dos ralos das piscinas onde nadavam. As três crianças faleceram. 

Para divulgar esses acidentes, alertar sobre o perigo e ajudar na conscientização de usuários de piscinas e dos políticos que poderiam (se quisessem) aprovar o Projeto da Lei Federal para Segurança nas Piscinas, o apoio da mídia seria de fundamental importância. Não a mídia sensacionalista que busca audiência e visibilidade no sofrimento de famílias enlutadas, mas a mídia séria que cumpre o seu papel social de informar, conscientizar e cobrar dos políticos promessas feitas que se cumpridas, poderiam transformar um Projeto em LEI para proteger nossas crianças de perder suas vidas nas piscinas que por não serem obrigadas a terem instalados os imprescindíveis dispositivos de segurança, são, literalmente, armadilhas submersas. 


Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

4 comentários

  1. Maldita incúria humana e sem mais palavras deixo-te aquele abraço de sempre e para sempre para ti e para a tua/nossa Flavia.

    Força amiga!

    ResponderExcluir
  2. Odele, é mesmo triste conviver com a lentidão do nosso legislativo e os demais poderes do Estado. A vida é tão rápida. Já faz 17 anos que Flavia está em coma e faz 6 que conheci vocês. Nada (concretamente) mudou em relação à segurança nas piscinas, infelizmente. Sua luta me inspira, sempre.
    Abraço a você e a Flavia.

    ResponderExcluir
  3. ...vim apenas trazer afagos
    de energia para as duas
    lindas guerreiras!

    foco, luz e paz, SEMPRE!

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Boa noite, sou engenheiro civil recém formado e hoje comecei a dimensionar o meu primeiro projeto hidráulico de piscina como profissional. Como já tinha visto alguns casos de morte envolvendo ralos de piscinas, resolvi pesquisar a existência de algum dispositivo de segurança (já que não vemos isso na universidade) e encontrei este blog. Desde já parabenizo-lhe pela iniciativa e informo que neste meu primeiro projeto e em todos os próximos que farei, colocarei a indicação do uso do ralo FSB, para que não tenhamos outros casos como esse! Obrigado e força!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails