Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Criança de um ano morre afogada em piscina de casa em Guarajuba

- 15 de outubro de 2017
Melissa Barros, 1 ano e 5 meses, morreu afogada na piscina neste domingo dia 12 de Outubro


"O que era pra ser um final de semana de diversão se transformou em tragédia, a pequena Melissa Barros, de apenas 1 ano e 5 meses, morreu afogada na piscina de um condomínio em Guarajuba, na Orla de Camaçari. O acidente aconteceu nesta quinta-feira (12/10).
O pai da criança é ex-vereador e atual diretor de turismo da Prefeitura de Itacaré, Jarbas Junior e no momento do afogamento estava trabalhando. Melissa estava com a mãe na casa.
A policia não deu informações se a morte foi por descuido que a criança se afogou na piscina sem supervisão de um adulto. O corpo vai passar por perícia." 

Não se sabe, ainda,  quais foram exatamente as circunstâncias deste acidente que vitimou a pequena e linda Melissa, mas é comum que crianças pequenas acabem caindo nas piscinas por falta da cerca de proteção e do portão auto travante. Esses dois dispositivos de segurança já evitariam acidentes e salvariam muitas vidas.

Invista na segurança de sua piscina. Instale os  necessários dispositivos de segurança. É assim que os acidentes serão evitados.

Foto e texto  EM AZUL retirados DAQUI



Pessoas sem mobilidade - amenizando as deformidades

- 8 de outubro de 2017
  A mão de Flavia, apoiada em um bichinho de pelúcia.
Algumas das muitas alternativas para se colocar nas mãos de pessoas sem mobilidade.


Por vezes, vejo pessoas que perderam a mobilidade, ficar com as mãos atrofiadas, por falta de movimentos. Mesmo para quem faz fisioterapia diária como é o caso de Flavia, as temidas deformidades em maior ou menor grau, acabam por acontecer.

Para amenizar esse problema, além do uso de órteses ortopédicas, infelizmente quase sempre muito desconfortáveis, pode-se fazer uso de alguns artifícios que ajudam bastante.

Flavia usa as órteses para posicionamento de mãos e pés, duas horas pela manhã e duas horas à tarde. No caso das mãos, quando Flavia não está usando as órteses, coloco nas mãozinhas dela, bichinhos de pelúcia, pequenos o suficiente para ter ao mesmo tempo eficácia e conforto.

Na segunda foto, temos um cone e duas bolinhas que coloco nas mãos de Flavia alternando com os bichinhos de pelúcia. As bolinhas são mais difíceis de ficarem muito tempo sem que se precise reposicioná-las, mas é uma alternativa importante até para que a pessoa possa ter uma experiência tátil diferente.

As alternativas são várias. Até mesmo uma toalhinha felpuda e macia, enrolada pode ser colocada nas mãos da pessoa sem mobilidade, de forma que ela possa sentir que está segurando algo e assim evitar que as mãos fiquem muito fechadas e rígidas, o que além de desconfortável, com o tempo pode-se ter aí uma deformidade instalada e portanto, sem volta.

Fica aqui a sugestão.

Forte e carinhoso abraço pra você que está lendo este post.

Dono de hotel é indiciado por morte de menina na piscina...

- 1 de outubro de 2017
Rachel, 7 anos, morreu ao ter os cabelos sugados. O acidente ocorreu em 16 de julho deste ano

"O dono do Sanfelice Hotel, em Balneário Camboriú (SC), foi indiciado pela morte da menina Rachel Novaes Soares, de 7 anos, que morava em Guarujá e estava viajando para comemorar seu aniversário quando se afogou após ter o cabelo sugado pelo ralo da piscina infantil. O acidente ocorreu no dia 16 de julho desse ano, em uma piscina com 60 centímetros de profundidade."

Leia o texto completo AQUI

Não importa a profundidade, se os cabelos ou qualquer outra parte do corpo de uma pessoa, principalmente criança, for sugada pela sucção da piscina, vai ocorrer afogamento e a morte é quase certa.

Os inúmeros acidentes ocorridos no Brasil causado pela sucção dos ralos e pela ausência de cerca de proteção na piscina, já leva a justiça a condenar com mais celeridade a negligência dos proprietários e administradores de piscinas. A Lei está demorando, mas que não se espere por ela para instalar os dispositivos que vão evitar a sucção dos ralos. Essa simples providência pode salvar muitas vidas.

E continuam os acidentes nas piscinas do Brasil

- 18 de setembro de 2017


Neste mês de setembro - divulgados - já tivemos dois acidentes ocorridos em piscinas.

No dia 03 de setembro os gêmeos Gabriel e Guilherme de quase dois anos, se afogaram na piscina da residência dos pais na cidade de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul.  Pelo que se lê na matéria, as crianças teriam tido acesso a piscina porque a grade de proteção estava apenas encostada. Leia mais AQUI.

Gabriel e Guilherme morreram afogados na piscina da própria  residência



Já no domingo, dia 17, um menino de 7 anos, morreu afogado na piscina de um Hotel em Alagoas, A criança que era de São Paulo, estava de férias com os país. Leia mais AQUI

Ítalo C Fernandes, de 7 anos morreu afogado na piscina de um hotel em Alagoas. Alguns sites falam que o acidente ocorreu em um hotel, outros, em um restaurante. leia mais AQUI.

O fato é que os acidentes em piscinas ocorrem por falta de segurança no local. Quanto a isso não há dúvidas. No primeiro caso, se os bebês gêmeos conseguiram acessar a piscina foi porque não havia portão auto travante que é um dos dispositivos de segurança mencionados no texto da Lei de Segurança nas Piscinas que segue em tramitação (avançada ao que parece) no Senado. Vamos  esperar que essa tão importante Lei saia de uma vez por todas do papel e que colocada em prática, possa salvar a vida de tantas crianças que têm tido a vida perdida em uma piscina sem segurança.

Por mais segurança nas piscinas do Brasil!


Acidentes por sucção dos ralos de piscinas, acontecem por negligência do local

- 22 de julho de 2017
Rachel e Cynthia, mãe e filha, em um momento feliz

"Se soubesse o que aconteceria, jamais eu a deixaria entrar na piscina. Fui levar minha filha para se divertir e a vi morrer".
(Cynthia, mãe de Rachel, morta no domingo dia 16/07, ao ter os cabelos sugados na piscina do hotel

Tenho visto nos noticiários sobre acidentes por sucção dos ralos de piscinas que os locais, numa tentativa se furtar às suas responsabilidades, acabam, de uma forma até cruel, responsabilizando os pais pelo acidente ocorrido, alegando esses locais que os pais não teriam exercido a necessária vigilância para com seus filhos. Ora, os pais não têm como saber se as piscinas onde seus filhos nadam estão ou não funcionando dentro ou fora dos padrões de segurança. E apesar deste tipo de acidente ser mais comum do que se pensa, muitos ainda não conhecem esse risco.

"Para o advogado do estabelecimento, Luiz Eduardo Righetto, o caso foi uma fatalidade. "O hotel está dentro das regras, se solidariza com os familiares da vítima, lamenta o ocorrido, mas não houve negligência. Estamos dentro das normas, por isso não é possível nos atribuir responsabilidade", disse."

O advogado do estabelecimento obviamente está equivocado. Como estão dentro das normas se o ralo estava sem a tampa antiaprisionamento?! Não sabiam? Pois procurem e informar. Proprietários e administradores de piscinas têm por obrigação conhecer e usar as normas de segurança em suas piscinas. Em assim não sendo não há que se falar em responsabilidade dos pais e esses locais terão sim que ser responsabilizados por esses acidentes.

A matéria completa pode ser lida neste link do G1

O fato é que, em se tratando de segurança nas piscinas, existe negligência não só dos locais onde as piscinas estão instaladas, como dos políticos que engavetam projetos de Lei que se aprovadas e colocas em vigor, salvariam muitas vidas. É o caso do Projeto de Lei desde 2014 está engavetado no Senado em Brasília.

O que me dá esperança é que a ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas está prestes a terminar os trabalhos de revisão e atualização de suas normas. no que se refere a segurança nas piscinas. E aí bastaria uma simples folha de papel escrita por um político de boa vontade que dissesse: "As piscinas do Brasil, deverão seguir rigorosamente as normas de segurança mencionadas na NBR 10.339 da ABNT".

Direcionar a segurança das piscinas para as normas da ABNT - NBR 10.339, seria o mais correto e simples a fazer.


Piscinas podem ser armadilhas submersas

- 20 de julho de 2017

Rachel Rodrigues Novaes, 7 anos,
a vítima mais recente da sucção dos ralos de piscinas

Esta semana a mídia voltou a mencionar a falta de segurança nas piscinas por causa do afogamento e morte da menina Rachel Rodrigues Novaes, 7 anos, na piscina de um Hotel de um Balneário em Camboriú, Santa Catarina, no domingo dia 16 de Julho. Rachel foi a vítima mais recente da sucção dos ralos de piscinas que há anos, vem causando tragédias, vitimando principalmente crianças. As meninas, são sugadas quase sempre pelos cabelos, os meninos por qualquer parte do corpo. Há até evisceração (sucção dos intestinos) A maioria desses acidentes são fatais.

Há quem, cruelmente,  ainda ouse falar em culpa dos pais, alegando falta de vigilância aos filhos. Detalhe, a piscina infantil, onde Rachel se afogou tinha 60 cm de profundidade. (!) CULPADOS, sim, mas não os pais, e sim os proprietários e administradores de piscinas assim como as autoridades que têm feito "vistas grossas" para as tragédias envolvendo principalmente crianças, que sugadas pela extraordinária sucção dos ralos de piscinas, se afogam e morrem, ou como no caso de minha filha Flavia, passam a viver em coma pelo resto da vida. Sugada pelos cabelos na piscina do condomínio onde morávamos aqui em São Paulo, Flavia vive em coma há  mais de 19 anos.

Desde 2007 quando resolvi criar este blog,  usando a tragédia de minha filha,  tento sensibilizar as autoridades para a necessidade de uma Lei Federal para Segurança nas Piscinas. Além de viagens, fiz inúmeros telefonemas para Brasília, sem nunca ter recebido mais do que promessas vazias.

Em 2014, quando somente no mês de janeiro daquele ano, três crianças foram vítimas do mesmo tipo de acidente que matou Rachel e deixou Flavia em coma, o Programa Fantástico da TV Globo entrevistou algumas mães de vítimas, eu entre elas, além do deputado Darcisio Perondi que prometeu à Repórter Sonia Bridi que até Março de 2014 a Lei Federal de Segurança nas Piscinas seria aprovada e passaria a vigorar em todo o Brasil. Infelizmente, , foi mais uma promessa  que nunca se cumpriu.

Mas há uma luz no fim do túnel.  A boa notícia é que a ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas, que tinha suas normas para segurança nas piscinas  desatualizadas em pelo menos 30 anos (sim, 30 anos), vem fazendo um trabalho de atualização  dessas normas, mencionando todos os dispositivos  anti aprisionamento que se instalados em uma piscina,  vão evitar a sucção dos ralos assim como cercas de segurança e portões auto travantes vão evitar a queda e consequente afogamento de crianças pequenas.

Lamentavelmente, em nosso país tudo funciona de forma muito lenta e com muita burocracia. Reuniões, discussões e necessidade de consenso são necessários até que se possa disponibilizar no site da ABNT, as normas de segurança das piscinas atualizadas. Enquanto isso não acontece, as piscinas continuam a ser sim,  armadilhas submersas onde o lazer das crianças vira tragédia afetando famílias que passam a viver enlutadas.

Tornar uma piscina segura não é algo que custe caro, pelo contrário. São dispositivos, a um custo bastante acessível,  simples e de fácil instalação. (Não precisa quebrar nada na piscina)  No Brasil, onde temos ao redor de 2 milhões de piscinas, apenas algo em torno 70 mil  podem ser consideradas seguras, porque têm os dispositivos de segurança instalados, mesmo sem a obrigatoriedade  imposta por uma Lei. Se mais proprietários e administradores de piscinas tivessem essa atitude, certamente, não veríamos esses devastadores acidentes nas piscinas do Brasil. Falta Lei, falta conscientização, falta atitude!







Sucção do ralo da piscina causa morte de menina de sete anos em Santa Catarina

- 17 de julho de 2017


Uma menina de sete anos, morreu neste domingo dia 16/07, quando ficou presa pelos cabelos aos sistema de sucção do ralo da piscina de um hotel em Camboriú, Santa Catarina.

"A Polícia Civil investiga a morte de uma menina de sete anos na piscina de um hotel em Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, no domingo (16). O cabelo de Rachel Rodrigues Novaes Soares ficou preso no ralo. O local não possuía sistema de segurança para desativar a sucção...

......

O afogamento aconteceu na piscina infantil de 60 centímetros de profundidade.
O cabelo da menina ficou preso na entrada de aspiração do filtro da piscina, que fica na área de lazer do Sanfelice Hotel, no Centro da cidade.

Rachel estava na cidade com a mãe. A família, de Guarujá (SP), passaria férias na cidade catarinense.

.....Segundo a Polícia Civil, o responsável pelo hotel pode responder por homicídio culposo, pois não havia o sistema de sucção previsto em lei.

.......
Testemunhas contaram aos bombeiros que a menina ficou debaixo d'água por cerca de seis minutos, do momento em que o cabelo ficou preso até a chegada de outros hóspedes que conseguiram resgatá-la.
Um guarda vidas civil que passava pelo local tentou fazer a reanimação, mas Rachel teve parada cardiorespiratória e não resistiu....."

Leia o texto completo neste link do G1

Se a piscina onde Rachel se afogou e morreu tivesse o sistema anti aprisionamento  instalado, certamente ela não teria sofrido esse acidente que lhe custou a vida. E por favor, não culpem os pais. Quem não deixaria uma criança de sete anos nadar em um piscina de apenas 60 centímetros de profundidade?!

É tão triste ver que crianças continuam morrendo por falta de segurança nas piscinas do Brasil, sem que esse assunto seja levado a sério. Promessas são feitas, o tempo passa e as tragédias se repetem. Até quando senhores?!


Sucção de ralo de piscina suga intestinos de adolescente

- 8 de junho de 2017
Crédito da Imagem: Jorge Amaral/Global Imagens

"Um adolescente de 14 anos encontra-se em estado grave depois de um acidente que resultou de uma brincadeira durante uma aula de natação em Carpesa, na zona de Valência, Espanha.
......
......A situação provocou graves danos físicos ao jovem. Sofreu rasgos nos intestinos e uma parte foi mesmo arrancada. Foi operado de urgência no Hospital La Fe, em Valência."

O texto abaixo é de minha autoria.

EVISCERAÇAO OU PROLAPSO RETAL

Muitas vezes crianças e adolescentes por brincadeira, sentam-se sobre o ralo da piscina, correndo um imenso risco de sofrerem evisceração dos intestinos, um acidente que tem consequências gravíssimas, podendo levar a pessoa à morte.

Uma piscina segura tem que ter uma tampa ante aprisionamento afixada ao ralo por parafusos, só podendo ser removida com ferramentas adequadas.

Tenho esperança de que em um tempo não muito distante as piscinas possam ser consideradas locais onde a segurança dos usuários seja considerada prioridade absoluta.

O acidente aqui mencionado  ocorreu na Espanha, mas poderia ter sido no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo. Somos todos irmãos e a segurança nas piscinas é uma causa de todos nós.

Noticia completa  deste acidente que causou a evisceração do adolescente pode ser lida  AQUI


Dia das Mães, maio de 2017. Carta para minha filha em coma

- 14 de maio de 2017
                                       
Sobre o dom de voar

Flavia, filha querida,

Hoje é dia  das mães, e como  todos os anos, desde que você passou a viver em coma, te escrevo uma carta. E hoje pra te contar que tenho acordado todos os dias com a forte lembrança do sonho recorrente que há anos tenho com você.De mãos dadas, nós duas voamos por sobre os lugares de sua infância.

Qual seria o significado deste sonho recorrente filha? Tenho pra mim que sonhar  repetidas vezes voando com você, de mãos dadas, pode significar infinitas possibilidades. Por exemplo, aproximar ainda mais, se isto é possível, mãe e filha. Ou talvez, porque no mundo dos sonhos, tudo seja possível, e eu tenha a oportunidade de voltar a ouvir sua voz. Ah! Como eu gostaria de voltar a ouvir sua voz, filha. É minha maior saudade, desde o dia que você passou a viver em coma. Saudade de sua voz. Muita. Ou quem sabe filha, este sonho recorrente seja para que voando com você eu consiga e mantenha, a leveza necessária para que aqui na terra eu possa me tornar uma pessoa melhor.

Entre tantas coisas bonitas que aprendi com você, obrigada filha, por me ensinar a voar. E obrigada por sempre  voar comigo.


Dia Internacional da Mulher. Flavia ganhou presente!

- 8 de março de 2017
A profissional Roseli, da empresa Depilaser, em procedimento de depilação a laser em Flavia.

Flavia está com 29 anos, e como toda mulher, precisa cuidar da aparência pessoal. Cuidar da aparência, além de melhorar a auto estima e é um carinho que fazemos a nós mesmas. Procuro proporcionar à Flavia além de meu carinho de mãe, os mesmos carinhos que ela faria a si própria, estivesse ela em condições de viver plenamente a sua juventude, coisa que esse terrível acidente a impede de viver.

Quando descemos para o jardim do prédio com Flavia, dependendo do tempo, ela é vestida com um short, uma sainha ou um vestido, e nesse caso, obviamente as pernas ficam à mostra. E mulher com pelos nas pernas não é nada bonito. Uma vez por mês, eu mesma depilava Flavia com cera fria, mas o processo não é exatamente indolor e tinha o inconveniente de precisar ser repetido mensalmente.

Na tentativa de diminuir o desconforto que as depilações mensais causavam em Flavia, comecei a pesquisar locais que fazem Depilação a laser e cheguei à Depilaser, uma empresa que há 15 anos, tem instalações dentro do Shopping Ibirapuera. O procedimento da Clínica foi extremamente cuidadoso. Foi solicitado que eu obtivesse a autorização do neurologista de Flavia, o que eu, prontamente providenciei. O médico de Flavia não viu qualquer impedimento para o procedimento, e o e-mail dele foi por mim enviado à Depilaser. Como mãe e responsável por Flavia, assinei todos os documentos que me foram exigidos pela clínica, o que para mim demonstra o extremo zelo e cuidado com a Depilsaser trabalha.  Foram vários dias de conversa com a Gerente Milene, até que a depilação foi marcada para hoje, coincidentemente, Dia Internacional da Mulher.

O procedimento exige equipamentos pesados e de difícil transporte. Mas tudo foi transportado até nossa casa pela Depilaser com a maior boa vontade. E depois de instalados os equipamentos no quarto de Flavia, a fisioterapeuta Rose começou o procedimento. Eu estava um tanto quanto tensa, porque uma amiga havia me dito que depilação a laser  dói  e tive receio de que Flavia reagisse mal, já que mesmo em coma vigil, nela estão presentes os estímulos dolorosos.

Conforme a profissional da Depilaser foi procedendo a depilação em Flavia, fui me acalmando. A reação de Flavia foi mínima, bem menor do que quando eu a depilava com cera fria. Confesso que fiquei positivamente surpresa, porque tudo transcorreu de forma absolutamente tranquila.

E ao final, quando fui fazer o acerto financeiro com a Clínica, a surpresa maior: O tratamento completo de depilação a laser em Flavia, incluindo a hora da profisisonal e o transporte dos pesados equipamentos necessários ao procedimento, foi oferecido gratuitamente à Flavia, pelo proprietário da Depilaser, Sr.Gilberto Barral, a quem deixo aqui publicamente os meus agradecimentos em meu nome e em nome de Flavia.

Milene, Roseli e Sr.Gilberto. Muito obrigada!

Detalhe: O Sr.Gilberto, proprietário da Depilaser, nem me conhece pessoalmente.

Desejo a todas mulheres, um feliz Dia Internacional da Mulher.

Menina de 4 anos tem intestinos sugados em banheira....

- 2 de março de 2017
Isabella Floyd, 4 anos
Admiral Hotel, Bulgária

O acidente aconteceu quando a criança estava na banheira com sua mãe. Isabella, 4 anos, teve os intestinos sugados pela sucção do filtro de água da banheira. A criança está em estado grave.


Sucção nas piscinas, morte ou sequelas graves

- 11 de fevereiro de 2017
Imagem retirada do site: Fundacion Santi Rivera - Colômbia

Simulação: a criança é sugada pelos cabelos e se afoga.
(foi o que ocorreu com Flavia)
Imagem: Sodramar
A grelha ou tampa antiaprisionamento evita a sucção do ralo.

Nestas imagens pode-se ver o estrago que faz a sucção dos ralos de piscinas. Na primeira imagem foram sugadas partes do corpo humano, o que, com alguma sorte, a pessoa consegue sobreviver. Já quando são os cabelos da vítima a serem sugados, escapar da morte é quase impossível. Minha filha Flavia, teve os cabelos sugados, escapou da morte mas não do afogamento e do estado de coma vigil em que se encontra há mais de 19 anos. Diariamante, convivo com a dor da perda. Flavia perdeu parte da infância, a adolescência, não pode seguir seus estudos, nunca vai namorar, casar ou me dar netos. Uma perda diária, uma dor sem consolo. 

Nao sei se por uma questão de sobrevivência emocional, acredito que um certo consôlo  me vem do fato de que acredito  - ou quero acreditar - que se minha filha  não morreu é porque Flavia  tem como missão,  alertar e conscientizar outras pessoas para esse perigo submerso que existe em muitas piscinas do Brasil. A sucção dos ralos, que pode matar ou deixar uma pessoa vivendo para sempre em coma.

Escrever e manter este blog, assim como a página de Flavia no Facebook,  é um tributo que faço não só à Flavia, mas também às crianças  Virgínia Baker, Abigail Taylor, Santiago Rivera, Luiza Santos, Gabriel Postenaro João Paulo, Mariana Oliveira, Naisla Cestari,  Sofía El-Khroury... e muitas outras crianças que tiveram a infância interrompida por um tipo de acidente que só ocorre por falta de segurança nas piscinas, ou seja, por negligência.

Que a morte dessas crianças e o estado de coma de minha filha possa servir de alerta para que outras crianças possam nadar e brincar em piscinas que respeitem o direito do usuário de nadar em uma piscina com segurança!

Segurança nas piscinas, esta é uma causa de todos nós!

Um abraço a todos e até o próximo post.

Segurança na piscina: Cerca de proteção e portão auto travante

- 22 de janeiro de 2017
Foto retirada do site da empresa Sodramar

Recebo alguns e-mails me solicitando onde adquirir o portão auto travante ou somente a trava para o portão já existente na piscina. Ambos os produtos podem ser aquiridos na empresa Sodramar, no link acima.~

Veja na imagem que a trava de segurança é colocada ultrapassando a altura do portão, de forma que uma criança pequena não consiga abrir. 

A cerca  e o portão autotravante são barreiras de proteção que evitam  o acesso de crianças pequenas à piscina, em um momento de distração dos pais ou de quem estiver responsável pela criança.

Cuide da segurança de sua piscina. Evite acidentes.


Sucção dos ralos de piscinas, o perigo continua.

- 18 de janeiro de 2017
Foto retirada do  G1

"Um menino de 12 anos ficou machucado nas costas depois de ter ficado preso na piscina de um clube de Biritiba-Mirim. O pai do menino disse que ele foi sugado pelo dispositivo de limpeza e quase se afogou. Ele procurou a polícia nesta semana e registrou um boletim de ocorrência por lesão corporal. O advogado do Clube Vale Encantado, Alexandre Andrade, disse que todas as despesas médicas foram pagas e que o clube deu o apoio e suporte para a família.

Reginaldo Alves de Araújo contou que estava com a família passando o dia no clube no último dia 9. Ele disse....

Continue lendo no G1


O perigo continua. Infelizmente.
Related Posts with Thumbnails